Prefeitura de SP passa gestão do Complexo do Anhembi à iniciativa privada

A proposta mínima de concessão do Anhembi, de R$ 53,7 milhões, foi aceita pela Prefeitura de São Paulo. A empresa GL Events poderá explorar o espaço comercialmente e terá que transformar os mais de 400 mil metros quadrados de área construída num dos mais modernos do mundo. O contrato foi assinado e publicado no Diário Oficial do município. O Complexo do Anhembi foi fundado em 1970 durante o Salão do Automóvel e está localizado no eixo Leste-Oeste, Norte-Sul da capital paulista. Além de uma arena poliesportiva, o novo Anhembi terá uma passarela cultural, hotéis, prédios residenciais, escritórios e até um hospital. Com capacidade de receber cerca de 20 mil pessoas por evento, o projeto prevê ainda foco em três áreas específicas.

A empresa vencedora da licitação terá que reformar o Sambódromo e também o Palácio de Exposições — e aumentar o salão de convenções, um dos espaços mais usados do complexo. Ainda de acordo com o edital, a empresa vai ter que destinar 12,5% ao ano à Prefeitura de São Paulo e o montante não pode ser menor que R$ 10 milhões. O orçamento que, segundo o prefeito Ricardo Nunes, vai ajudar a área da saúde. Na prática, a construção da nova arena multiuso do Complexo do Anhembi esfria os planos do governador João Doria, que havia anunciado um projeto audacioso para a modernização do Parque do Ibirapuera. As obras devem começar em 2022 e a inauguração ocorrerá em 2024.

*Com informações do repórter Maicon Mendes

Deixe uma resposta