Antes de cúpula com Putin, Biden reitera apoio a aliados europeus

‘O presidente Putin sabe que não hesitarei em responder a futuras atividades agressivas’, garantiu o presidente dos EUA. Montagem mostra os presidentes Joe Biden, dos EUA, e Vladimir Putin, da Rússia
Pavel Golovkin, Eric Baradat / AFP /
Os Estados Unidos vão apoiar seus aliados europeus em relação à Rússia, prometeu o presidente americano Joe Biden antes de sua primeira cúpula, desde que chegou à Casa Branca, com o russo Vladimir Putin.
Biden viaja para a Europa na quarta-feira (9) para participar das cúpulas do G7 e da Otan e para se encontrar com o presidente russo em 16 de junho em Genebra.
Esta cúpula entre os dois líderes ocorre em um contexto de péssimas relações bilaterais entre os Estados Unidos e a Rússia, com uma série de polêmicas em torno de direitos humanos, questões geopolíticas ou alegadas interferências nos processos eleitorais.
Em uma coluna publicada no Washington Post, no sábado (5), o presidente dos Estados Unidos promete fortalecer as “alianças democráticas” dos Estados Unidos para lidar com múltiplas crises e ameaças da Rússia e da China.
“Permanecemos unidos para enfrentar os desafios que a Rússia representa à segurança da Europa, começando por sua agressão na Ucrânia, e não haverá fraqueza alguma na firme determinação dos Estados Unidos em defender nossos valores democráticos, que são indissociáveis de nossos interesses”, escreveu.
“O presidente Putin sabe que não hesitarei em responder a futuras atividades agressivas”, garantiu.
“Quando nos encontrarmos, destacarei o compromisso dos Estados Unidos, da Europa e de nações com ideias semelhantes em defender os direitos humanos e a dignidade”.
Desde sua chegada à presidência, em janeiro passado, Biden tem exercido forte pressão sobre a Rússia, e seus comentários comparando Putin a um “assassino” geraram duras críticas em Moscou.

Deixe uma resposta