Volta dos cruzeiros em Veneza gera protestos

Neste sábado, a primeira grande embarcação zarpou do porto da cidade italiana desde o início da pandemia de Covid-19. Preocupados com a preservação do patrimônio local, moradores carregavam bandeiras dizendo “Sem grande navios”. Moradores carregavam bandeiras “Sem navios grandes”.
A volta dos cruzeiros em Veneza, na Itália, gerou protestos de moradores neste sábado (1), quando a primeira grande embarcação zarpou do porto da cidade, desde o início da pandemia de Covid-19.
Centenas de pessoas se reuniram em pequenos barcos e em terra com bandeiras dizendo “Sem navios grandes” e seguiram o MSC Orchestra, quando ele saiu do porto com destino a Croácia e Grécia.
Alguns moradores de Veneza pedem, há anos, que o governo proíba a circulação de grandes cruzeiros pelos canais da cidade. Há um preocupação com a preservação do patrimônio local.
“Estamos aqui porque somos contra essa passagem, mas também contra um modelo de turismo que está destruindo a cidade, expulsando moradores, destruindo o planeta, as cidades, e poluindo”, disse Marta Sottoriva, professora e moradora de Veneza, à Reuters.
Volta dos cruzeiros em Veneza gera protestos
Manuel Silvestri/Reuters
Por outro lado, autoridades portuárias, trabalhadores e a administração da cidade comemoraram a saída do Orchestra, operado pela MSC Cruzeiros, como um símbolo do reinício dos negócios após a crise sanitária que atingiu em cheio a indústria de cruzeiros e o setor de viagens em geral.
Foram 17 meses sem a circulação de grandes embarcações pela cidade.
“Estamos felizes por estarmos de volta… reiniciando os motores. Nós nos preocupamos muito com Veneza e há muitos anos pedimos uma solução estável e administrável para os navios”, disse Francesco Galietti, diretor-nacional do grupo comercial Cruise Lines International Association (CLIA, sigla em inglês).
MSC Orchestra atracado na cidade de Veneza no dia 3 de junho de 2021.
Manuel Silvestri/Reuters
Os passageiros tiveram que apresentar um teste negativo para Covid-19, realizado, ao menos, 96 horas antes de embarcar. Eles serão submetidos a outro teste na chegada.
O MSC Orchestra zarpou com 650 pessoas e fará escalas em Bari, Corfú, Mykonos e Dubrovnik. Ele tem capacidade para embarcar com 3 mil pessoas, mas foi autorizado a sair com, no máximo, metade da sua capacidade.
VÍDEOS: veja mais notícias internacionais

Deixe uma resposta