Balança comercial registra superávit de US$ 10,35 bi em abril, o melhor resultado para o mês em 24 anos

A balança comercial brasileira fechou abril com superávit de US$ 10,35 bilhões, alta de 67,9% na comparação com o mesmo mês em 2020, segundo dados divulgados pelo Ministério da Economia nesta segunda-feira, 3. Este é o melhor desempenho para o mês desde o início da série histórica, em 1997. Antes, o melhor registro havia sido em 2017, quando a balança comercial encerrou com superávit de US$ 6 bilhões. O saldo é resultado de US$ 26,48 bilhões em exportações, aumento de 50,5%, ante US$ 16,13 bilhões em importações, avanço de 41,1%. A corrente de comércio, que mesura o valor das transações, registrou alta de 46,8%, somando US$ 42,61 bilhões. No acumulado do ano, a balança comercial registrou superávit de US$ 18,26 bilhões, alta de 106,4% na comparação com janeiro e abril do ano passado. No período, a venda de produtos brasileiros no mercado internacional cresceu 26,6%, totalizando US$ 82,13 bilhões, enquanto a compra de itens estrangeiros cresceu 14%, somando US$ 63,87 bilhões. Este é o segundo melhor desempenho, atrás somente do acumulado de US$ 19 bilhões em 2017.

A alta recorde do mês foi puxada pelo crescimento de 44,4% das exportações no setor agrícola, somando US$ 8,23 bilhões. O setor da indústria extrativa avançou 73,2%, totalizando US$ 6,46 bilhões, enquanto a indústria de transformação cresceu 43,9% e alcançou US$ 11,67 bilhões. Já as importações de produtos do agronegócio cresceram 1,6%, somando US$ 38 milhões. A compra de produtos da indústria extrativa registrou avanço de 35,5%, que chegou a US$ 95 milhões enquanto a indústria de transformação teve alta de 42,6%, somando US$ 14,55 bilhões.

A China se mantém como o principal parceiro comercial brasileiro, responsável pela exportação de US$ 10,35 bilhões e importação de US$ US$ 3,09 bilhões, fechando o mês de abril com saldo positivo de US$ 7,26 bilhões para o Brasil. As exportações para os Estados Unidos somaram US$ 2,32 bilhões, enquanto as importações chegaram a US$ 2,73 bilhões. O saldo deixa o Brasil com saldo negativo de US$ 42 milhões. Já com a Argentina, o principal parceiro comercial dos brasileiros na região, as exportações registraram US$ 90 milhões, enquanto as importações foram de US$ 82 milhões, fechando com superávit de US$ 7 milhões para os brasileiros.

%d blogueiros gostam disto: