Novo Congresso de El Salvador destitui e troca membros do Supremo Tribunal de Justiça e procurador-geral

Presidente Nayib Bukele, que tem controle sobre os parlamentares, elogiou a decisão. Diretor da Human Rights Watch fala em ‘concentração de poder’. Novo Congresso de El Salvador troca Câmara Constitucional de Justiça e procurador-geral
Salvador Meléndez/AP Foto
O novo Congresso de El Salvador, controlado pelo presidente Nayib Bukele, decidiu neste sábado (1º) destituir dos seus cargos os integrantes da Câmara Constitucional do Supremo Tribunal de Justiça e o procurador-geral.
Com 64 votos a favor, 19 contra e um ausente, os parlamentares determinaram na primeira sessão a retirada dos cinco magistrados por terem violado a Constituição ao tomarem decições contra medidas que o presidente Bukele tentou adotar durante a pandemia, como o estado de emergência no país.
O presidente salvadorenho elogiou a decisão e garantiu que “o povo” acolheu a decisão, ao mesmo tempo que pediu à comunidade internacional que não interfira no assunto.
Presidente de El Salvador polemiza ao declarar emergência sem consultar Congresso
Deputado pede que Congresso de El Salvador avalie ‘capacidade mental’ do presidente
Saiba quem é Nayib Bukele, o presidente da ‘geração Y’, que deve mandar até no judiciário em El Salvador
Poucas horas depois, a mesma Câmara Constitucional destituída emitiu declaração de inconstitucionalidade da determinação legislativa, embora não tenha ficado claro o que acontecerá agora, por exemplo, se o caso pode ser tratado e revertido pelo plenário da Suprema Corte.
Um dos magistrados destituídos, José Armando Pineda Vargas, também é presidente do Supremo Tribunal Federal.
Porém, o plenário do Congresso elegeu e deu posse a cinco novos magistrados para comporerem a Câmara Constitucional.
Posteriormente, com 64 votos a favor, sete contra, 11 abstenções e dois ausentes, o procurador-geral da República, Raúl Melara, foi destituído. O motivo alegado é de que ele teria ligações com a sigla direitista Aliança Nacionalista Republicana (ARENA), opositora ao governo.
Melara foi eleito para um mandato de três anos que termina em dezembro de 2021.
O presidente do Congresso, Ernesto Castro, posteriormente empossou o advogado Rodolfo Antonio Delgado como o novo Procurador-Geral da República, no período de 2 de maio de 2021 a 5 de janeiro de 2022.
José Miguel Vivanco, diretor para as Américas da organização Human Rights Watch, criticou a decisão. “Bukele rompe com o império da lei e busca concentrar todo o poder em suas mãos”, disse ele em sua conta no Twitter.
Os partidos da oposição também atacaram as medidas do novo Congresso.
De acordo com a Constituição, os magistrados do Supremo Tribunal de Justiça podem ser destituídos pelo Congresso “por causas específicas, previamente estabelecidas em lei”.
Tanto para a eleição quanto a destituição devem ser realizadas com o voto favorável de pelo menos dois terços dos deputados eleitos.
Nayib Bukele, presidente de El Salvador
Marvin Recinos/AFP

%d blogueiros gostam disto: