Piora da pandemia faz indústria tropeçar em fevereiro e interrompe 9 meses de alta

A atividade industrial brasileira perdeu força em fevereiro com o agravamento da pandemia do novo coronavírus em todo o país e quebrou a sequência de nove altas de resultados positivos, segundo dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgados nesta quinta-feira, 8. Entre os cinco indicadores levantados, apenas a geração de emprego teve saldo positivo, com avanço de 0,4%. O setor da indústria gerou mais de 93 mil postos com carteira assinada no mês, de acordo com números do Ministério da Economia. “O emprego foi o único indicador que manteve a sequência de altas. Ele vem crescendo desde agosto de 2020 e, em fevereiro, ultrapassou o nível pré-pandemia, ainda influenciado pela forte recuperação da atividade industrial de meses anteriores. Mas os demais dados mostram a interrupção da tendência de alta da atividade industrial, o que pode se refletir no emprego mais para a frente”, afirma o gerente de análise econômica da CNI, Marcelo Azevedo

O faturamento foi o setor mais afetado, com retração de 3,3%. O resultado joga o indicador ao mesmo nível de novembro de 2020, zerando os ganhos registrados em dezembro e janeiro. Apesar da queda, o faturamento ainda está 4,5% maior do que o registrado em fevereiro do ano passado. O rendimento médio caiu 1,8%, o pior número para o indicador desde julho do ano passado e 2,3% abaixo do mesmo mês em 2020. Já massa salarial dos trabalhadores retraiu 1,1%, queda de 0,7% na comparação com fevereiro de 2020. As horas trabalhadas na produção registraram baixa de 0,5% na comparação com janeiro, mas ainda se mantém 3,5% acima de mesmo mês no ano anterior.

A Utilização de Capacidade Instalada (UCI) da indústria caiu 0,4 ponto percentual em relação a janeiro de 2021. Apesar da retração, a UCI segue elevada, em 80,2%, considerando a série livre de efeitos sazonais. A UCI permanece 0,9 ponto percentual acima do verificado no mesmo mês do ano passado. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) também já indicavam o tombo na indústria após a curva de recuperação iniciada ainda em 2020. Segundo a Pesquisa Industrial Mensal, o setor registou queda de 0,7% em fevereiro. No ano, a indústria acumula alta de 1,3% e, em 12 meses, queda de 4,2%. A perda de força do setor já era sentida desde janeiro, quando registrou alta de 0,4%, o pior desempenho desde abril de 2020 no auge da pandemia do novo coronavírus.

%d blogueiros gostam disto: