Augusto: Celso de Mello quer que impeachment de Bolsonaro seja pautado porque tem ‘angústia do ex’

O ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Celso de Mello, enviou uma mensagem a amigos fazendo duras críticas à atuação de Jair Bolsonaro durante a pandemia. Segundo o texto encaminhado por ele, o presidente “desconhece o valor da vida” por impedir a decretação de um lockdown nacional. Aposentado desde o meio de 2020, o ex-ministro tem se afastado da vida pública desde então vivendo em reclusão na sua cidade natal, Tatuí (SP). Além de Celso de Mello, Joaquim Barbosa, que se filiou ao PSB em 2018 e cogitou ser candidato à presidência da república, mas desistiu, estaria articulando nos bastidores o seu apoio para as eleições de 2022 com a prioridade de tirar o presidente atual do poder. Ele tem traçado críticas ferrenhas ao governo atual e deverá emprestar o seu nome à esquerda para derrubar Jair Bolsonaro nas urnas. Para atingir esse propósito, ele não descarta apoiar até mesmo Lula. Ainda dentro do cargo, o decano Marco Aurélio Melo afirmou que a Câmara dos Deputados precisa tocar os pedidos de impeachment contra Bolsonaro. “Que o Plenário decida. Que os representantes do povo brasileiro decidam”, afirmou, pedindo posteriormente o julgamento no Senado.

Para o comentarista do programa “Os Pingos nos Is” Augusto Nunes, acredita que o ministro aposentado sofre com a “angústia do ex”. “Como se sabe, aqui no Brasil sobretudo, na porta do ex nasce capim. Ninguém vai visitar. Ele tem que mandar uma carta aos amigos para ser lembrado, porque qualquer um que fale mal do Bolsonaro consegue espaço em jornal”, afirmou, garantindo que “ele não é nada” e fica trancado em casa. “Se ele aparecer em público ele será tratado como merecem ser tratados os ministros do Supremo. Nenhum deles merece confiança”, disse. Nunes disse que perdeu o respeito por Joaquim Barbosa quando soube que ele deixou o STF por medo. “Eu tenho uma dificuldade muito grande para ouvir com alguma atenção quem não tem coragem moral nem física”, disse. Para ele, a popularidade de Barbosa poderá ser medida se ele for às urnas e os ministros deverão pautar todo o tipo de impeachment, não só o de Bolsonaro. “Tem que votar também o pedido de impeachment contra ministros do supremo. Ele deveria falar isso” lembrou.

Confira o programa “Os Pingos Nos Is” desta quinta-feira, 8, na íntegra:

%d blogueiros gostam disto: