Governo está preparado para derrubar liminares em leilão de aeroportos nesta quarta

O governo federal está preparado para derrubar possíveis liminares que possam travar o leilão de aeroportos que ocorrerá nesta quarta-feira, 7. Serão 22 terminais, entre eles os de Curitiba, Manaus e Goiânia, divididos em três blocos e que atrairão cerca de R$ 6 bilhões em investimentos. O Secretário Nacional de Aviação Civil, Ronei Glanzmann indica que a Advocacia Geral da União (AGU) está de plantão atenta a todos os movimentos. “Não tem como a gente prevê se terão outras liminares ou não, mas temos a nossa Advocacia Geral da União toda preparada para poder atuar em cada uma dessas instâncias.”

Mesmo em meio a maior crise do setor aeroportuário no mundo, a sexta rodada de concessão de aeroportos deve atrair ao menos sete investidores. Para o secretário não haverá falta de interesse, pois trata-se de um contrato de longo prazo. “O setor de avião civil, é claro, todo mundo conhece que foi afetado pela crise da pandemia. o transporte aéreo é um transporte em confinamento e, em tempos de pandemia o setor sofre muito. Mas estamos falando de concessão a longo prazo, serão 30 anos de concessão. E acreditamos que o mercado esteja olhando para essa retomada após a pandemia, após o coronavírus”, disse.

Grandes grupos que já administram aeroportos no Brasil sinalizam interesse em participar, são os casos da Aena, Vinci, CCR, Inframérica e Socicam, também podem entrar no certame a gestora de fundos Pátria e a operadora francesa ADP. De acordo com a Secretaria Nacional de Aviação Civil as concessões não causarão impactos nas tarifas aos usuários, e seguirão nas regras atuais. Atualmente, 67% de todo o tráfego nacional são concedidos à iniciativa privada. O governo prevê realizar em dezembro a relicitação do aeroporto de São Gonçalo do Amarante, em Natal. Para 2022, está previsto o leilão da 7ª rodada, que inclui as chamadas joias da coroa, Santos Dumont e Congonhas.

*Com informações do repórter Daniel Lian

%d blogueiros gostam disto: