Gastos com publicidade chegam a R$ 100 mi no Amazonas

Em meio a pandemia da Covid-19 no Amazonas, o governador Wilson Lima (PSC) fez aditivo de R$ 40 milhões e os gastos em publicidade chegam a R$ 100 milhões. É o que mostram contratos assinados pelo Estado com três empresas de publicidade: a Kintaw Design e Publicidade Eireli; a Mene e Portella Publicidade Ltda; e a View 360 Publicidade e Comunicação Integrada Ltda. A denúncia foi feita pelo deputado Dermilson Chagas (Podemos) na sessão plenária virtual desta quarta-feira, 01/07, da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam).

Segundo os contratos, as três empresas recebem cada uma o valor de R$ 22,916 milhões do Estado para os serviços de publicidade. Esses contratos são válidos por um ano, no prazo de 14 de novembro de 2019 à 13 de novembro de 2020. 
 
Apesar de gastar mais de R$ 68 milhões em publicidade por ano com essas empresas, o governo ainda realizou um aditivo com as mesmas empresas no valor de R$ 13,333 milhões, cada uma, para realização de campanhas de utilidade pública destinadas direta e indiretamente ao combate à Covid-19 nas áreas de saúde, assistência social e mitigação do impacto econômico da população. 
Os aditivos foram realizados no dia 17 de abril de 2020. Segundo o documento “os valores serão utilizados apenas no período de abril a julho de 2020”.
 
Juntos, o valor dos contratos de um ano somados aos aditivos chegam a R$ 108 milhões.
 
“Os caras fizeram um aditivo dentro de um contrato de um ano com as mesmas empresas de publicidade do governo do Estado. É a farra do dinheiro público, a farra do dinheiro federal que o Bolsonaro mandou aqui para salvar vida”, criticou o deputado Dermilson Chagas. “Para fazer essa propaganda merreca, essa propaganda que não convence nem bêbado, que não conscientiza ninguém”. 
 
Para o parlamentar, os gastos milionários com a publicidade do governo é algo inadmissível em meio ao caos da pandemia que ainda ainda faz vítimas na capital e principalmente no interior do Estado onde não há sequer estrutura para atendimento. 
 
“Quantas pessoas tem que morrer neste Estado para parar o governador. Quantas pessoas vão procurar a saúde e não vai ter saúde. Ele não ouve um grito de uma mãe, de um pai, de um filho que chora a morte de um amazonense. Ele não quer nem saber do povo do Amazonas, nesse momento ele quer se salvar. Nesse momento, o Wilson vai querer gastar o que puder para se salvar”, declarou o parlamentar se referindo ainda ao fato de o governador ser investigado na Operação Sangria da Polícia Federal.
 
Dermilson pediu mais uma vez aos colegas deputados pelo afastamento do governador Wilson Lima. “Tem que parar o Wilson e a melhor forma é instalar a comissão especial do impeachment”, solicitou.

Governo 

Em nota, a Secretaria de Estado de Comunicação (Secom) informa que a ampliação de investimentos em comunicação estão sendo fundamentais no enfrentamento à pandemia de Covid-19. “A comunicação, inclusive,  foi definida pelo Governo Federal como essencial, por meio do Decreto n⁰ 10.288, assinado pelo presidente Jair Bolsonaro e publicado no dia 22 de março de 2020. O Decreto se aplica às pessoas jurídicas de direito público interno em todas as esferas de governo”, afirma a Secom, em nota.   

A Secom explica, ainda, que por meio de Termo de Ajustamento de Gestão (TAG) com o Tribunal de Contas do Estado (TCE) e o Ministério Público de Contas (MPC), a pasta ampliou os recursos destinados à comunicação que tem se pautado, exclusivamente, a todas as informações relevantes de combate, prevenção e mitigação de efeitos da pandemia de Covid-19 no Amazonas. “Toda a aplicação de recursos tem sido feito, ainda, de forma transparente, com dados disponíveis para consulta no Portal da Transparência. Além disso, as peças publicitárias produzidas têm sido amplamente divulgadas, contribuindo para a efetiva comprovação dos investimentos realizados”, finaliza.

Fonte: Toda Hora

%d blogueiros gostam disto: