Hamilton vence GP da Estíria e Mercedes faz dobradinha

Soberano e dominante, Lewis Hamilton sobrou no GP da Estíria da Fórmula 1. Neste domingo, o hexacampeão mundial liderou de ponta a ponta a corrida no circuito Red Bull Ring de Spielberg, na Áustria, e venceu a prova com autoridade, sem sustos, recuperando-se do quarto lugar na primeira etapa da temporada, no fim de semana passado. A corrida também foi marcada por erros e dificuldades na Ferrari, ainda perdida em 2020.

O finlandês Valtteri Bottas chegou em segundo e, assim, a Mercedes marcou a primeira dobradinha da temporada. O pódio foi complementado pelo holandês Max Verstappen, da Red Bull, que foi vice-líder da prova por um bom tempo, mas não conseguiu sustentar a posição e acabou ultrapassado pelo finlandês, líder do Mundial de Pilotos, com 43 pontos, seis a mais que Hamilton.

O piloto britânico chegou à 85ª vitória na carreira e agora está a seis de igualar Michael Schumacher, o maior vencedor da história da categoria. Hamilton, com o primeiro triunfo no ano, venceu pelo menos uma vez nas últimas 14 temporadas.

“O time fez um trabalho fantástico com a estratégia. Sou muito grato por voltar a vencer. Parece que faz um tempão desde a última vez. Foi um grande passo à frente. Eu amo corridas seguidas, poderia fazer isso durante toda a temporada”, celebrou Hamilton, referindo-se aos GPs da Áustria e da Estíria, disputados em domingos consecutivos.

A quarta posição neste domingo ficou com o tailandês Alexander Albon, da Red Bull, logo à frente de Lando Norris, que mais uma vez se destacou pelo arrojo e talento. Pilotando como se tivesse larga experiência, o jovem inglês de 20 anos ultrapassou o mexicano Sergio Pérez na última curva e terminou em quinto. No último fim de semana, ele já havia chamado a atenção ao ter chegado em terceiro e conquistado seu primeiro pódio na carreira

Apesar da posição perdida no final, Pérez também teve performance notável. O piloto da Racing Point largou em 17º depois de um desempenho ruim na chuva na sessão classificatória e protagonizou uma corrida de recuperação espetacular. Ele empilhou ultrapassagens e chegou a estar em quinto, mas danificou a asa dianteira na disputa pelo quarto lugar com Albon e acabou terminando em sexto.

Completaram o grupo dos dez melhores colocados, do sétimo ao décimo lugar, o canadense Lance Stroll, da Racing Point, o australiano Daniel Ricciardo, da Renault, o espanhol Carlos Sainz Jr., da McLaren, e o russo Daniil Kvyat, da AlphaTauri.

A corrida neste domingo foi bem menos caótica em relação à última prova. Abandonaram a prova apenas o francês Esteban Ocon, da Renault, e os carros da Ferrari, que teve um fim de semana para esquecer. Logo na largada, Charles Leclerc se afobou e bateu no companheiro Sebastian Vettel, que logo deixou a corrida O jovem monegasco tentou voltar, mas não conseguiu e também retirou seu carro da disputa. Depois, ele assumiu a culpa pelo incidente e pediu desculpas. O piloto escapou de punição.

A última vez que as duas Ferraris bateram havia sido no GP do Brasil de 2019, com a dupla também abandonando. Após o incidente, o chefe da escuderia italiana, Mattia Binotto, em entrevista à Rede Globo, preferiu não apontar culpados e disse que a equipe vai trabalhar para se recuperar.

Um novo protesto antirracista marcou o GP da Estíria. Antes da prova, a maioria dos pilotos novamente se ajoelhou e usou uma camiseta com os dizeres “Fim do Racismo”. Vestido com uma camiseta que estampava a frase “Black Lives Matter” (Vidas Negras Importam) Lewis Hamilton, único piloto negro da história da categoria, liderou de novo o movimento.

Os pilotos voltam à pista no próximo fim de semana para o GP da Hungria, a terceira etapa da temporada da Fórmula 1. A categoria ainda não definiu o calendário completo e deve anunciar mais corridas em breve.

Confira a classificação final do GP da Estíria:

1º – Lewis Hamilton (ING/Mercedes), em 1h22min50s683

2º – Valtteri Bottas (FIN/Mercedes), a 13s719

3º – Max Verstappen (HOL/Red Bull) , a 33s698

4º – Alexander Albon (TAI/Red Bull), a 44s400

5º – Lando Norris (ING/McLaren), a 61s470

6º – Sergio Pérez (MEX/Racing Point), a 62s387

7º – Lance Stroll (CAN/Racing Point), a 62s453

8º – Daniel Ricciardo (AUS/Renault), a 62s591

9º – Carlos Sainz Jr. (ESP/McLaren), a uma volta

10º – Daniil Kvyat (RUS/AlphaTauri), a uma volta

11º – Kimi Raikkonen (FIN/Alfa Romeo), a uma volta

12º – Kevin Magnussen (DIN/Haas), a uma volta

13º – Romain Grosjean (FRA/Haas), a uma volta

14º – Antonio Giovinazzi (ITA/Alfa Romeo), a uma volta

15º – Pierre Gasly (FRA/AlphaTauri), a uma volta

16º – George Russel (ING/Williams), a duas voltas

17º – Nicholas Latifi (CAN/Williams), a duas voltas

Abandonaram a prova:

Charles Leclerc (ALE/Ferrari)

Sebastian Vettel (ALE/Ferrari)

Esteban Ocon (FRA/Renault)

%d blogueiros gostam disto: