Prefeita quer transferir R$ 32 mi destinados à coivd-19 para grupo de empreiteiros em cidade de MT

Com mais de 1.500 infectados pelo novo coronavírus, acumulando 150 óbitos, em menos de 60 dias, a 2ª maior cidade de Mato Grosso, Várzea Grande, situada ao lado de Cuiabá, poderá ser palco de um dos maiores escândalos envolvendo a transferência de recursos federais destinados ao combate contra a pandemia causada pela covid-19.

Segundo denúncia do jornalista Pedro Luís (foto), gravada em frente a sede da prefeitura local, a chefe do Executivo, Lucimar Campos (DEM), solicitou a Câmara Municipal, autorização para manobrar o orçamento em execução, assegurando o remanejamento de R$ 32 milhões de um total de R$ 74 milhões, que serão repassados pela União, exclusivamente, para ser teoricamente usado na saúde, ao setor de infraestrutura do município.

De acordo com o jornalista, a gestora, ao final do mandato, pretende investir R$ 28 milhões, dos valores recebidos da União, em pavimentação asfáltica e outros R$ 4 milhões na construção da “Orla do Porto”, obra de revitalização urbana que margeia o rio Cuiabá, maior manancial de água doce da região metropolitana. “Nós não queremos que esse dinheiro vá para as empreiteiras em plena campanha eleitoral”, denunciou Pedro Luís.

O jornalista fez apelo emocionado ao presidente Jair Bolsonaro, alertando-o que a prefeita, acima citada, é esposa do senador, Jayme Campos (DEM-MT), presidente da Comissão de Ética do Senado Federal. “Por sinal, esse senhor (Jayme Campos) é muito influente politicamente aqui em Mato Grosso”, asseverou.   

No mesmo vídeo, o jornalista que também é gestor cultural, alerta Bolsonaro, além do ministro interino da Saúde, general, Eduardo Pazuello. Ele pede a imediata suspensão dos repasses à Várzea Grande, sob pena, segundo ele, de ocorrer claro desvio de finalidade no uso dos recursos públicos destinados à saúde municipal.

“Presidente, por favor, pare de enviar dinheiro para Várzea Grande. Envie medicamentos e invista em estrutura hospitalar. Não está adiantando o senhor enviar esse dinheiro. Nós queremos UTI´s e remédios (kit/covid). Nós não precisamos que esse dinheiro vá para as empreiteiras em plena campanha eleitoral”, denunciou.

Até o fechamento desta reportagem, procurada, a prefeita Lucimar Campos, não se pronunciou. O espaço continua aberto.

   

%d blogueiros gostam disto: