Empresários que apoiam Bolsonaro devem R$ 650 milhões em tributos e multas a Receita Federal

Ao menos oito empresários de grande porte devem aproximadamente R$ 650 milhões ao fisco brasileiro. É o que revela a Receita Federal, com base em multas aplicadas por supostas manobras tributárias para evitar pagamentos integrais de impostos. Todos são ligados e apoiadores do presidente, Jair Bolsonaro.

Entre os devedores, o dono das lojas Havan, Luciano Hang (foto), possui pendencias elevadíssimas com a Receita. De acordo com o jornal Folha de São Paulo, autor da reportagem investigativa, o empresário “ verde e amarelo” administra débito aproximado de R$ 57,9 milhões com a Receita Federal, além de R$ 13,2 milhões em cobrança pela PGFN e mais R$ 123 milhões parcelados no último Refis do governo, em 2018.

Segundo auditores do fisco, a Havan foi multada por esconder receita e despesa da contabilidade, com o propósito de gerar resultados menores de impostos a pagar.

Além de Hang, outros três figurões do mundo empresarial também estão mergulhados em dívidas tributárias. São eles: Sallim Mattar (Localiza), Rubens Menin (MRV) e Flávio Rocha (Riachuelo).

Outro lado

Localiza: “Houve um erro de digitação no preenchimento da declaração de débitos tributários federais. O valor correto já foi quitado dentro do prazo de vencimento”, esclareceu.

Riachuelo: afirmou que os débitos da Riachuelo e da confecção Guararapes são indevidos. “Por isso, apresentamos garantias (seguros e fianças bancárias e exercitamos nosso direito constitucional à ampla defesa”, defendeu-se.

Havan: não quis comentar o caso.

%d blogueiros gostam disto: