MP faz buscas em Belo Horizonte na tentativa de capturar mulher de Queiroz, foragida da Justiça

Desdobramento da operação Anjo resultou em uma ação conjunta entre o Ministério Público Estadual do Rio de Janeiro e Minas Gerais, nesta terça-feira (23). Foram cumpridos quatro mandados de buscas e apreensões em endereços de Belo Horizonte, ligados a parentes de Fabrício Queiroz, preso na última quinta-feira (18), acusado de liderar esquema da rachadinha na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj).

Os promotores suspeitam que a esposa de Queiroz, Marcia Aguiar (foto), foragida da Justiça, esteja escondida na casa de familiares de Queiroz. Por essa razão a Justiça autorizou as buscas.

“O Ministério Público de Minas apoia operação do Ministério Público do Rio e cumpre, nesta terça-feira, 23, quatro mandados de busca e apreensão em Belo Horizonte relacionados ao caso das rachadinhas da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj)”, confirmou um promotor de Minas Gerais.

A operação Anjo investiga sofisticado esquema de desvio de dinheiro público nos gabinetes da Alerj, através de funcionários fantasmas e comissionados, usados para devolver parte dos seus salários aos parlamentares contratantes.

Um dos alvos é o então deputado estadual e atual senador, Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), acusado pelo MPE de organização criminosa, falsidade ideológica, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro no esquema da rachadina. O seu braço-direito, Fabrício Queiroz, está preso no complexo penitenciário de Bangu 8. Eles negam todas as acusações.   

%d blogueiros gostam disto: